Banner 1

I. As áreas de actuação do Centro
Para permitir uma melhor intervenção, o CEC compreende que a organização deverá ser regida por quatro áreas transversais dentro das suas linhas programáticas: i) Comunicação e Política; ii) Comunicação, Cidadania e Governação; iii) Comunicação, Género e Direitos Humanos; iv) Comunicação e Saúde Pública; v) Comunicação e Desenvolvimento. As actividades do CEC deverão, por isso, serem orientadas através de projectos de investigação enquadradas em linhas temáticas definidas nas suas diversas áreas de intervenção social. Estas pesquisas deverão alimentar as publicações do CEC (os cadernos do CEC e a Revista de Comunicação & Sociedade) para além de alimentar os seus fóruns de discussão pública, através de palestras, seminários, conferências e fóruns de discussões online.

1.1 Comunicação e Política
Esta linha tem como objectivo desenvolver projectos de pesquisa sobre as diversas vertentes de relacionamento entre a comunicação e a política, partindo da ideia de que a relevância social dos discursos políticos passam pela intermediação e mediatização dos profissionais de meios de comunicação, havendo complexas relações entre os actores do campo da política, dos media e o próprio público. As actividades desenvolvidos nesta linha, irão destacar a maneira como os políticos e jornalistas relacionam-se na formação da opinião pública e na promoção de um debate público inclusivo.
Esta componente irá ainda preocupar-se com o papel dos media na promoção do pluralismo político, através da inclusão de diversos actores no debate político; a maneira como o discurso político é reproduzido nos media.

1.2 Comunicação, Cidadania e Governação
Esta linha de intervenção baseia-se no facto de os media constituem-se como actores centrais para o funcionamento das democracias modernas, através do seu papel de informar, garantir a transparência, denunciando todas as práticas que vão contra as boas práticas de governação.
As actividades desenvolvidas deverão procurar analisar as necessidades de informação que os cidadãos têm e a maneira como são respondidas pelos jornalistas; as dificuldades que os jornalistas enfrentam no acesso às fontes de informação e os receios, constrangimentos e barreiras impostas pelas fontes de informação no acesso à informação.
As pesquisas a serem desenvolvidas nesta linha olham para três grupos principais: i) as audiências e as suas necessidades de informação; ii) como os jornalistas respondem a essas necessidades (os constrangimentos que enfrentam) iii) as fontes de informação (como base nas constrangimentos e necessidades das audiências, pesquisa com as fontes deverá procurar perceber as motivações e receios que os levam a colocarem barreiras no acesso à informação) e iv) o papel dos meios de comunicação na garantia da transparência nos processos de governação económica, política e social, através da monitoria de questões sobre a corrupção.
Esta linha de pesquisa deverá também procurar reflectir sobre o papel dos media na promoção da participação política, sobretudo em momentos de referendos, eleições e manifestações.

1.3 Comunicação, Género e Direitos Humanos
Graças ao seu papel de visibilizar, os meios de comunicação social são chamados a tomar um papel activo na promoção e na advocacia de políticas que defendam os direitos e interesses de grupos descriminados e desfavorecidos.
Esta linha deverá desenvolver actividades que promovam uma comunicação que advogue a adopção de políticas sociais inclusivas. Será ainda responsável por desenvolver pesquisas e debates que reflictam sobre diversas problemáticas sociais como o descriminação racial, imigração, drogas e toxicodependências, prostituição, criminalidade, descriminação da criança, promoção de direitos da criança e igualdade de género.

1.4 Comunicação e Saúde Pública
Para além de desenvolver um conjunto de pesquisa sobre a contribuição dos media na reportagem dos problemas de saúde pública que afectam a sociedade moçambicana, esta área de intervenção irá analisar a maneira como os diversos actores que respondem pela produção de programas de saúde pública em Moçambique desenham, implementas as suas estratégias.
Esta componente deverá desenvolver actividades que possam levar o CEC a participar, activamente, na elaboração e implementação de campanhas de comunicação que possam contribuir para a solução dos problemas de saúde pública, o caso do HIV/SIDA, saneamento do meio, a malária, cólera e outras.

1.5 Comunicação e Desenvolvimento
Multiplicam-se, diariamente, os debates sobre a necessidade de uma maior intervenção e responsabilidade das sociedades na prevenção do meio ambiente. Embora Moçambique esteja em plena implementação de projectos de desenvolvimento económico e social, é preciso que os diversos sectores da sociedade velem para que essas acções se tornem sustentáveis.
Esta área deverá desenvolver actividades que reflictam sobre o papel dos media na promoção do meio ambiente; promoção da justiça social; o papel dos media na promoção e divulgação do mosaico cultural e turístico do país; promoção da igualdade de acesso de bens; exploração da terra e dos recursos naturais.

FaLang translation system by Faboba