Banner 1

CELESTINO JOANGUETE10

Foi lançada na última quinta-feira, 30 de Março,  em Maputo, a obra do autor moçambicano Celestino Joanguete intitulada "Imprensa Moçambicana: do papel ao digital- Teorias, História e Digitalização". 

 

O livro sintetiza os principais debates teóricos da mudança do cenário mediático global. E numa perspectiva transdisciplinares, Joanguete convoca para a reflexão alguns teóricos da “mediamofose”, que na décade de 90 abriram  os primeiros territórios de investigação  em torno do fenómeno de trasnformação sócio-organizacional da indústria medática.

Dividido em sete capítulos, a obra apresenta, por um lado, os primeiros momentos da pesquisa caracterizada pela “tecnorresistência” e críticas ao novo modelo digital de comunicação. Por outro lado, o livro tráz a tona a questão da inovação das redacções dos países africanos e a complementariadade dessas inovações com as línguas africanas e, por fim, relata, descreve e critica os processos mutacionais da imprensa moçambicana, desde o período da implantação da primeira tipografia em Moçambique, até ao actual cenário de transição da televisão analógica para o digital. 

Ernesto Nhanale, em representação ao CEC, referiu-se que a editora CEC foi criada num contexto de promoção da Investigação Científica, sendo que as publicações têem uma grande valor científico, visto que passa por uma revisão de pares.

Representando, a Oxfam-Ibis, Ericino de Salema, enalteceu o contributo do CEC na pesquisa e divulgação na área da Comunicação Social, lembrando que o acesso a informação é acesso ao conhecimento, e produzir conhecimento é uma forma de torna-lo a informação acessível, e este é um dos objectivos essenciais do CEC.

Salema enfatizou a satisfação da Ibis em apoiar a produção de livros temáticos através do programa de Acesso a Informação, uma vez que a própria Ibis surgiu num contexto académico. O representante da Ibis exortou ainda ao CEC para que democratize o processo de selecção das obras a serem publicadas, no sentindo de o CEC lançar um anúncio  para oportunidades de publicação de livros e divulgar o relatório deste processo.

O docente e pesquisador, Luca Bossotti fez a apresentação do livro e destacou a importância do manual, na medida em que se pode encontrar quatro temas importantes dos quais: o primeiro aborda História e Teorias do Jornalismo; o segundo trata de línguas africanas no jornalismo; o terceiro fala sobre jornalismo moçambicano; e o quarto introduz à transição do Papel ao Digital (este últmo tema debate sobre a mudança trazidas pela migração digital, no jornalismo).

Esta é o primeiro livro publicado do docente e pesquisador, Celestino Joanguete,  obra que, entre outras questões, procura responder como se pode aproveitar o sistema dos novos media para a impresa mocambicana?

 

CELESTINO_JOANGUETE5.jpgCELESTINO_JOANGUETE26.jpgCELESTINO_JOANGUETE25.jpgCELESTINO_JOANGUETE24.jpgCELESTINO_JOANGUETE21.jpgCELESTINO_JOANGUETE20.jpgCELESTINO_JOANGUETE18.jpgCELESTINO_JOANGUETE17.jpgCELESTINO_JOANGUETE16.jpgCELESTINO_JOANGUETE14.jpgCELESTINO_JOANGUETE11.jpgCELESTINO_JOANGUETE10.jpgCELESTINO_JOANGUETE9.jpgCELESTINO_JOANGUETE33.jpgCELESTINO_JOANGUETE32.jpgCELESTINO_JOANGUETE31.jpgCELESTINO_JOANGUETE30.jpgCELESTINO_JOANGUETE28.jpgCELESTINO_JOANGUETE2.jpgCELESTINO_JOANGUETE1.jpg